fbpx Skip to main content
0
Category

SEO

ilustração de duas fotografias

SEO de imagem: Como colocar suas imagens no topo das buscas

By SEO No Comments

Fazer SEO de imagem é um trabalho um pouco chato, mas muito importante. As imagens podem ser aliadas ou inimigas do SEO do nosso site. Se não forem tratadas da forma correta desde o início, podem ser muito prejudiciais para experiência do usuário, que é o critério fundamental do Google ao fazer o ranqueamento de imagens.

Oi, galera! Gui da 7mídias trazendo mais um conteúdo muito útil pra vocês! 

Nesse artigo vou mostrar boas práticas para lidar com a imagem desde o “salvar como” até o upload para o site.

1. Escolha do formato do arquivo

O formato de arquivo é o primeiro ponto de atenção aqui. Se a imagem que você quer usar não precisa de transparência, opte sempre pelo formato .jpg. Fotos jpg são mais fáceis de compactar sem perda de qualidade.

Agora se a transparência for necessária (para um logo, por exemplo) é melhor o formato .png.

2. Tratamento de imagem

Usando o Photoshop.

Ao preparar uma imagem para ser colocada em um site, os softwares de tratamento de imagem geralmente têm uma função “Salvar para web”.

No Photoshop, o caminho é Arquivo > Exportar > Salvar para web

Isso abrirá a janela de configurações de salvamento.

A imagem abaixo destaca as partes mais importantes dessa janela quando setamos a imagem para ser salva em jpg, ordenando os passos em números.

Explicando melhor:

  1. Como nesse caso queremos uma imagem com fundo colorido, setamos o tipo de arquivo pra JPEG.
  2. O tamanho da imagem tem que ser proporcional ao espaço que ela ocupará na tela. Se a imagem for enorme, mas só será usada num espaço pequeno da tela, é importante deixá-la o menor possível, desde que satisfaça o espaço que ela vai ocupar no site. Outro fator importante é a proporção da imagem: o Google prioriza imagens 4:3 e 16:9, já que são as dimensões mais comuns para monitores e funcionam bem para celulares também.
  3. A qualidade pra imagens da web não precisa ser extrema. Escolha a qualidade que não deixe a imagem péssima e nem muito grande em tamanho de arquivo.
  4. Essa parte da tela mostra qual será o tamanho final do arquivo. Depois de redimensionar a imagem e mudar a qualidade, fique de olho nesse visor. Para ser didático, imagens largas (como banners) devem ter um tamanho menor que 300 kb. Imagens médias devem ser menores que 150 kb e imagens pequenas menores que 100 kb. Diminua a qualidade ou o tamanho da imagem até atingir esses resultados.
  5. Metadados são algumas informações de uma imagem captadas por uma câmera (como flash, foco etc), entre outras informações. Elas pesam a imagem e não são necessárias para web, então deixe a opção marcada como “nenhum”.

Sem Photoshop

Uma alternativa para tratar as imagens sem Photoshop é usando o site Optimizilla. Ele permite compactar fotos de 20 em 20 imagens por vez. 

Mas ele não redimensiona as imagens, então é importante que as imagens já estejam no tamanho correto. 

Depois de subi-las, é só escolher a qualidade para que o tamanho do arquivo fique cada vez menor e depois baixar. 

OBS: Para imagens PNG, diminuir a qualidade pode deixá-las pontilhadas. Então, se uma imagem não tem transparência, converta ela pra JPG usando o site convert.io e depois pode compactar.

3. Nomeando arquivo

Essa parte aqui é extremamente importante pro SEO da imagem! Temos três detalhes da imagem a que o Google dá importância, que são:

  • Nome do arquivo
  • Texto Alt
  • Legenda (indiretamente)

Vamos explicar cada um deles abaixo

Nome do arquivo

Antes mesmo de subir a imagem pro site, precisamos nomeá-la. A ideia aqui é fazer o robozinho do Google entender o conteúdo da imagem. 

Imagina esse robô se deparando com um arquivo chamado “WhatsApp Image 2020-04-15 at 18.38.11.jpg” ou “IMG-2342.jpg”. Ele não vai entender nada!

Agora se o nome for “cadeira-de-escritório-preta-com-rodinhas.jpg” vai ficar beeem mais fácil de entender o que tem na imagem.

Texto alt

As imagens da internet carregam um atributo chamado “alt”. Podemos preencher esse atributo com uma descrição da imagem e dizer pra quê ela serve.

Mas atenção! Muita gente acha que devemos encher o texto alt com palavras-chave e afins. Mas o algoritmo do Google já é bem espertinho pra identificar esse tipo de ação e pode marcar a imagem como spam, prejudicando muito seu ranqueamento.

Até porque ele não serve só pra descrever a imagem pro Google, mas pra acessibilidade também. Nesse atributo precisamos pensar como um deficiente visual vai entender a utilidade daquela imagem que está passando na tela.

O texto alt deve ser preenchido com uma breve descrição da imagem. E deve ser direcionada pra humanos, não pra robôs. Por exemplo “cadeira de escritório preta com rodinhas num fundo branco”.

Mas onde que eu coloco esse tal de texto alt?! Se você tiver fazendo um site em WordPress, ele já te dá essa opção nas configurações da imagem. Se estiver editando diretamente num código HTML, é só acrescentar um atributo alt dentro da imagem, tipo assim:

<img src=”cadeira-de-escritório-preta-com-rodinhas.jpg” alt=”cadeira de escritório preta com rodinhas num fundo branco”>

Legenda

As legendas não são extremamente necessárias, mas elas ajudam muito o SEO de forma indireta. Já foi comprovado que elas prendem o usuário por muito mais tempo na página, e isso é muito positivo pro algoritmo. 

No WordPress dá pra adicionar uma legenda também nas configurações da imagem.

4. Teste de velocidade no GTmetrics


Depois de subir a imagem no site, teste se ela está otimizada na ferramenta especializada GTMetrics.

Acesse GTmetrix.com, coloque o URL de onde estão as imagens que você subiu e clique em “Test your site”.

Depois de um tempo aparecerão as recomendações para otimização de velocidade

Três delas são relacionadas à imagens: “Optimize images”, “Specify image dimensions” e “Serve scaled images”.

Talvez elas apareçam pra você se as imagens ainda puderem ser melhoradas.

O primeiro diz que as imagens podem ser otimizadas. Ele ainda gera uma URL com a imagem já otimizada, aí é só baixar e substituir. Mas basicamente o que ele faz é tirar algumas informações ocultas na imagem, como aqueles metadados que falei lá em cima.

O segundo diz que algumas imagens não têm suas dimensões (width – largura, height – altura) não foram especificadas. Não é um problema tão sério, já que as imagens não precisam ter as dimensões especificadas para aparecer.

O terceiro mostra imagens que estão sendo usadas no site numa dimensão menor do que ela é. Para acabar com esse problema, tente dimensionar as imagens exatamente no tamanho que elas serão usadas no site.

Se você seguir todos esses passos, seu site estará extremamente otimizado em relação às imagens. Muito mais leve e agradável para que seus usuários permaneçam no seu site, aumentando cada vez mais seu ranqueamento no buscador do Google.

Agora, se você não tiver afim de fazer esse trabalho todo, fala com a gente! 

A 7mídias faz um site lindo e otimizado pra sua empresa, sem falar no trabalho de SEO pra que ele fique no topo do Google!

QUERO UM SITE LINDO E OTIMIZADO PARA MINHA EMPRESA!

Gostou desse post? Não deixe de compartilhar com seus amigos!

Para mais conteúdos como esse, fique de olho no nosso Blog e siga a 7mídias nas redes sociais, estamos sempre trazendo conteúdos interessantes sobre o marketing digital por lá!

capa ilustração de lupa sobre texto

Palavra-chave: como escolher a melhor pra minha página?

By SEO No Comments

Se você escreve em páginas da internet ou administra algum site, com certeza já deve ter ouvido falar sobre a palavra-chave, mas se ainda não ouviu chegou a hora de entender como essa palavrinha é útil pro seu negócio.

No SEO, a palavra-chave de um texto é aquela que reúne o que há de mais importante nele. É um dos principais fatores que o Google leva em conta na hora de indexar a sua página e exibi-la nos resultados das buscas do usuários.

Mas por quê?

Bem, vamos pensar de maneira prática. Se você quisesse pesquisar uma receita de bolo de chocolate no Google (nada suspeita minha pesquisa 😋), provavelmente você pesquisaria: 

👉 “Receita bolo de chocolate” ou até mesmo “bolo de chocolate”, certo?

Só isso já seria suficiente pro Google indexar todas as páginas que tivessem como palavra chave “bolo de chocolate” e afins.

Agora, imagine se no SEO da sua página sobre receita de bolo de chocolate você optar por colocar como palavra-chave “receitas”.

Na nossa pesquisa aqui de cima, é claro que não seria impossível o Google encontrar a sua página como resultado da busca, mas com certeza ela só apareceria depois das páginas com o termo-chave mais específico.   

Já deu pra entender o quanto escolher bem a sua é importante? 

Nesse artigo de hoje vamos te contar um pouquinho mais sobre essa importância, as diferentes estratégias pra planejar e dicas pra escolher as suas.

Vamos nessa?

como os usuários fazem buscas no Google

Tudo começa com as buscas! Nós mesmos damos um Google em absolutamente tudo na vida. Desde “que dia é hoje” até “como fazer o SEO da minha página”.

O Google sabe disso e, como trabalha com os mais diversos campos e profundidades de conteúdo, ele categoriza cada tipo de busca utilizando mecanismos diferentes pra oferecer as melhores respostas pra cada uma. 

Mas o que isso tem a ver com a palavra-chave? Tudo! Antes de planejar qualquer página, você precisa saber quem você quer alcançar.

Sabendo isso, você consegue traçar o perfil comportamental do seu público e como ele te encontraria no Google, ou seja, meio caminho andado pra definir a palavra-chave!

Por isso, é sempre bom estar atento na hora de definir nossas estratégias! Veja algumas formas do Google categorizar as buscas:

pesquisa navegacional

A busca navegacional acontece quando o usuário já sabe onde quer ir. Essa busca é muito comum com nomes de marcas.

👉 Ex: Facebook ou 7mídias 🤓

Por experiência própria, geralmente encontramos a página que queremos em primeiro lugar e nem olhamos o resto, certo?

Nesse caso, se você tem um site, é muito importante que uma de suas páginas tenha como palavra-chave o nome da sua empresa, de preferência a página principal. 😉

Vídeo mostrando uma pesquisa navegacional no Google com a palavra-chave "7mídias"

pesquisa informacional

Essa já acontece quando queremos aprender sobre alguma coisa. 

Se pensarmos no percurso de vendas, aqui a pessoa ainda estaria no topo do funil, tentando aprofundar seu conhecimento no produto, marca ou assunto, mas ainda distante de fechar um negócio.

👉 Ex: segurança do Facebook, ou quem sabe, SEO para sites.

Essa é uma boa oportunidade pra captar leads e, geralmente, os Blogs exercem essa função muito bem!

Usando a 7mídias como exemplo, uma pessoa pode chegar até o nosso site por este artigo, querendo entender melhor sobre palavras-chave. Mesmo que essa pessoa não esteja interessada em contratar um dos nossos serviços, vai passar a conhecer um pouquinho da nossa empresa. E se gostar, é muito provável que indique aos amigos ou que queira conhecer mais sobre nós. 😊

(Se esse é o seu caso, seja muito bem vindo! 🌟)

pesquisa transacional

Aqui a pessoa já sabe o que quer e só procura um meio pra conseguir isso.

👉 Ex: Facebook como baixar ou 7mídias telefone

Pra esse tipo de busca, já está quase tudo certo pro usuário efetivar a compra ou o contato, a não ser que ele não encontre as informações de maneira fácil. 😕

Por isso, garanta que o seu negócio está acessível e fácil de ser encontrado na web! 

Mantenha a sua página sempre atualizada e fique de olho pra ver se ninguém entrou em contato com você, a rapidez no atendimento conta MUITO!

pesquisa local

Nesse tipo de busca, o Google utiliza um algoritmo diferente que apresenta os resultados localizados no Google Maps, próximos à região em que o usuário está ou que ele digita nos termos de busca.

👉 Vamos supor que você tenha uma lanchonete em Copacabana. Se eu estiver nesse bairro e buscar “lanchonetes” provavelmente o Google vai mostrar a sua entre as opções.  

Portanto, garanta que o seu negócio está visível no Google Maps através do Google Meu Negócio. 😉

Se você tem um negócio que opere com serviços remotos, como é o caso da 7mídias, essa ferramenta pode não fazer muito sentido, mas se você tiver uma loja física é super útil!

outras pesquisas

Existem ainda outras formas de pesquisa: por imagens, por notícias… e pra cada uma delas, a página de resultados do Google vai aparecer de uma forma diferente.

E se a página de resultados varia a cada modo de busca, é claro que as palavras-chaves também irão variar estrategicamente.

Vamos falar agora um pouco sobre elas. 👇

head tail x long tail: tipos de palavra-chave

De maneira geral, podemos dividir as palavras-chave nessas duas categorias que variam de acordo com a especificidade da busca.

Optar por uma das duas estratégias está diretamente ligado ao momento da jornada de compra que a sua persona se encontra. 

Geralmente, quem está no topo do funil costuma fazer buscas mais abrangentes — como as pesquisas informacionais que citei acima — enquanto quem está quase fechando o negócio costuma fazer buscas mais específicas.

É claro que uma boa estratégia de SEO deve buscar atender e tirar dúvidas da persona durante toda a jornada, mas também é importante direcionar as estratégias porque elas fazem toda diferença nos resultados.

Precisamos pensar no que é mais interessante para aquela página: atrair leads ou fechar vendas? 

👉 Entenda o porquê:

head tail

Esses são os termos de “cauda curta” que são amplos e genéricos.

Os head tails são ótimos pra auxiliar uma pessoa que ainda está no início das buscas conhecendo mais sobre o tema. Essa persona ainda não sabe bem o que quer e está buscando apenas se inteirar do assunto.

👎 Problemas: 

  • alta concorrência: imagine só se a gente jogar “marketing digital” no Google, vai vir de tudo! Ranquear com head tails é bem mais difícil.
  • personas não qualificadas: as head tails atingem um grande número de pessoas precoces nas pesquisas, assim ela pode até passar a conhecer a marca, o que é bom, mas as chances de conversão são muito baixas.

👍 Vantagens:

  • atrair leads: Palavras-chave head tails são ótimas para atrair visitantes e tendem a ter um bom volume de buscas. ⭐

long tail

Ao contrário das head tails, as long tails (cauda longa) são termos mais específicos, geralmente buscas feitas por pessoas que já estão indo pro fim da compra.

Ao contrário das head tails, essas palavras-chave atraem um público qualificado e com alta chance de conversão!

👎 Problemas: 

  • tráfego baixo: optando por essas palavras-chave provavelmente o tráfego será baixo porque termos específicos têm menos buscas.

👍 Vantagens:

  • público qualificado: como falei aqui em cima, por estarem mais próximos de fecharem um negócio, já buscaram muito sobre o tema e estão mais amadurecidos no assunto.
  • baixa concorrência: por ter menos buscas, é bem mais fácil para ranquear no Google!

Mas lembre-se! Apesar de um ter mais vantagens do que o outro, tudo vai depender da sua estratégia, do que é interessante para a sua empresa no momento!

Não sabe qual a melhor opção? podemos te ajudar!

escolhendo a minha palavra-chave

Como já pudemos ver até aqui, não existe uma fórmula mágica, tampouco a palavra-chave ideal. Tudo é questão de estratégia!

É olhar pra dentro do seu negócio e pensar no que é mais útil para o momento: movimento e alcance de leads ou conversão para a compra.

É colocar na balança e traçar a rota — sempre lembrando que é possível mudar a estratégia se a sua não está dando certo.

Agora, falando mais um pouquinho sobre as estratégias de escolha de palavras-chave, temos mais alguns pontos a analisar antes de escolher a ideal.

Veja:

persona

O que um lead de determinada empresa geralmente está buscando?

Na 7mídias, por exemplo, muitos clientes chegam até nós buscando sites! E na sua empresa?

Quando pensamos sobre o que um potencial cliente poderia perguntar ao Google, fica mais fácil pra gente oferecer respostas!  🌟

volume de busca da palavra-chave

O volume de buscas tem a ver com a quantidade de vezes que aquela palavra é pesquisada no Google.

E onde conseguimos esses dados preciosíssimos? Existem plataformas voltadas pra isso, como o Keyword Planner, do Google.

interface do keyword planner, o planejador de palavra-chave do Google

Buscando a sua palavra-chave no Keyword Planner, ele apresenta o número médio de buscas mensais, a concorrência, o custo por clique e outras sugestões similares à sua busca.

Mas atenção, nem sempre uma palavra com uma quantidade alta de buscas vai ser a melhor, isso vai depender também do nosso próximo tópico, a concorrência. 

dificuldade de ranqueamento do termo-chave

A concorrência alta nos planejadores significa que muitos outros sites já utilizam aquele termo-chave e, com isso, vai ser mais difícil alcançar o topo da página do Google.

De nada adianta ter uma palavra com a quantidade de buscas altíssima se muitas outras pessoas já utilizam ela. Às vezes é mais estratégico utilizar um termo que apresente desempenho médio no volume de buscas e uma concorrência pequena.

🌎 Mundo ideal: um termo com alto volume de buscas e baixa concorrência. Se encontrar essa palavra, vá fundo nela! 

custo por clique da palavra-chave

Essa é válida pra quem utiliza aqueles anúncios no Google. 

Sabemos que os que ficam no topo da página são os que tem um custo por clique mais alto, mas dependendo da situação, vale analisar se não é mais vantagem escolher um custo por clique mais baixo. 

Essa seria uma forma do seu conteúdo continuar a ser visto com destaque, mas não necessariamente clicado, fazendo com que você gaste.  

tome cuidado com os sinônimos da sua palavra-chave

O que acontece é que às vezes miramos na palavra-chave errada achando que ela é muito promissora.

👉 Exemplo, supondo que eu escreva para um site de arquitetura e escreva um artigo sobre “plantas de casa”. 

Na hora de escolher minha palavra chave, eu encontro a palavra “plantas” com volume de buscas de 100 mil a 1 milhão e concorrência média, parece uma ótima palavra chave, né?

Mas será que a maioria das pessoas que buscam esse termo estão procurando sobre projetos de plantas 🏠 ou sobre as plantas verdinhas da natureza 🌳? 

Temos um grave problema! Se a maioria das pessoas que buscam esse termo, na verdade estão procurando sobre árvores e flores, meu site vai ser simplesmente ignorado por elas.

Portanto, seja estratégico e tome cuidado com os outros significados que a palavra pode ter!

quantidade de palavras-chave no texto

É importante citar a palavra escolhida no decorrer do texto, mas nada de exageros!

Use em alguns subtítulos e distribua de maneira natural durante o texto. Colocar essas palavras em demasia não é um bom sinal para o SEO porque pode ser reconhecida como uma black hat — prática ruim —  pelos algoritmos.

Em suas últimas atualizações, os algoritmos do Google têm se tornado ainda mais inteligentes para a linguagem natural utilizada por nós, humanos. 

Assim, cada vez mais ele reconhece quando um texto está tentando burlar regras pra mandar bem no SEO, e pode puni-los não os ranqueando nos resultados.

Além disso, essas mesmas atualizações fazem com que os algoritmos compreendam cada vez mais nossa linguagem, abrindo as portas para os sinônimos.

👉 Ex: por diversas vezes nesse texto usei “termo-chave” ao invés de “palavra-chave”. 😉

as melhores estratégias pra sua rede!

Espero que esse artigo de hoje tenha te ajudado a entender melhor o mundo do SEO e como se posicionar nele.

Mas vale lembrar que essas regras e métricas do Google estão sempre em movimento, portanto todo dia é dia de aprender mais um pouquinho e se atualizar no SEO.

As palavras-chave são só uma parte desse universo de práticas levadas em conta no momento da indexação, mas eu diria que uma parte super importante dele, por isso, vale se planejar BEM!

Estamos à disposição pra te ajudar nesse planejamento estratégico! (E cá entre nós, a 7mídias é master blaster boa nisso!)

confira nosso portfólio!

Gostou e quer agendar uma conversa sem compromisso? É pra já!

quero conhecer a 7!

E como coisa boa a gente nunca guarda só pra gente, não esquece de compartilhar este artigo com seus amigos! 🌟

Nos vemos no próximo post? Vou esperar você!

Um beijo e até a próxima! 🌻

Descubra o que é SEO e como usar!

SEO: o que é e como usar no seu site e blog!

By SEO 3 Comments

“Afinal, pra que serve o SEO?”

Aqui na 7mídias, volta e meia nos deparamos com essa pergunta.

Quem está começando a estruturar o marketing digital da sua empresa geralmente quer focar no retorno a curto prazo — e sabemos que isso requer altos inve$timentos.

Enquanto isso, outras estratégias que podem trazer um retorno incrível a médio prazo acabam ficando de lado, como o bom e velho blog.

De forma totalmente orgânica (e gratuita!), um blog bem trabalhado pode ajudar MUITO no crescimento do seu negócio!

Tá, e onde que entra o SEO nessa história? Aliado a um bom marketing de conteúdo, ele será um dos grandes responsáveis por fazer o seu blog bombar.

Como?

Vem que vamos te explicar tudo nesse post! 🙂

O que é SEO?

A sigla SEO significa Search Engine Optimization (em português: Otimização para Mecanismos de Buscas).

Mas o que isso realmente quer dizer?

Esse termo é usado para se referir a um conjunto de técnicas de escrita que ajuda a destacar seu site nos mecanismos de busca, como o Google ou o Bing.

Em outras palavras, ele trabalha para que seu site apareça no topo das páginas de pesquisas.

Por que usar o SEO?

Porque hoje em dia tudo é buscado na internet!

Vamos lá: se você está viajando e quer sair pra comer, aposto que pesquisa por dicas e resenhas de restaurantes online.

Ou, se está pensando em comprar uma TV nova, provavelmente compara na web os preços de diferentes modelos.

Por fim, se você tem uma dúvida sobre algum acontecimento histórico e não tem nenhum professor de História por perto, como faz pra descobrir a resposta? O jeito mais rápido é procurando na internet, sem dúvidas! 😉

Nessas 3 situações completamente diferentes, passamos pelo mesmo caminho: o de fazer uma pesquisa em um site de buscas.

E como é que esses sites entregam exatamente a resposta que precisamos?

É aí que entra o trabalho de SEO 😉

Como funciona o SEO?

Diferente do que você pode ter imaginado, esses sites não indicam conteúdos aleatoriamente.

Eles também não têm um time de pessoas disponível 24 horas só para analisar em tempo real todas as pesquisas feitas ao redor do mundo e entregar as respostas corretas no menor espaço de tempo possível.

Eles fazem outra coisa bem mais simples (e efetiva): “leem” os textos dos sites.

Por que digo “leem” entre aspas?

Porque, na verdade, são robôs que analisam todos os conteúdos publicados na internet para destiná-los para o resultado de busca correto.

Agora pensa assim: por dia, são publicados por volta de 2 milhões de textos na internet no mundo inteiro.

Some a isso o fato de que usuários de sites de busca geralmente só entram nos links que ficam no topo da primeira página de resultados.

O que concluímos?

Que é importante garantir que seu site esteja nesse topo, para ele que seja acessado mais vezes, certo?! (isso também é chamado de “ter um bom rankeamento”)

Beleza!

…E como fazer isso?

Bom, você pode pagar caro por anúncios patrocinados ou…

 

Trabalhar o SEO do seu site!

Como trabalhar o SEO no meu site?

SEO é um conjunto de técnicas de escrita que ajudam que seu site fique no topo das páginas de pesquisa.

São muitas as práticas que devem ser aplicadas a fim de atingir esse objetivo.

Inclusive, algumas empresas de Marketing Digital têm como uma de suas especialidades criar conteúdos com SEO otimizado para sites e blogs (como nós!).

Mas existem algumas dicas fáceis e rápidas que você pode usar para melhorar um pouco mais o SEO do seu site:

1. Pense como se estivesse fazendo uma busca

Quando for planejar o título para sua página ou postagem, se pergunte: como faço para chegar até esse conteúdo?

Por exemplo, vamos supor que você esteja escrevendo sobre restaurantes que sirvam comida vegana em Maceió.

Se fosse ao contrário e você quisesse procurar sobre esse assunto, como digitaria em uma caixa de busca? Provavelmente algo como Restaurante Vegano Maceió, certo?!

Pronto, você tem aí os termos mais importantes do seu artigo.

Esse post do blog da Amplic é um ótimo exemplo desse trabalho:

“Planejamento estratégico”, “canvas” e “plano de negócios” são os termos principais do artigo e aparecem em seu título.

2. Escolha boas palavras-chave

Agora que você já sabe que deve pensar seu título baseado em termos relevantes do seu conteúdo, é hora de escolher uma palavra-chave.

Por mais que o seu texto tenha várias expressões muito significativas para ele, é essencial eleger uma palavra-chave pra ser a principal.

Voltemos ao exemplo do post sobre o restaurante vegano em Maceió.

Qual desses termos você acha que é o principal?

De fato, todos são muito importantes dentro do seu contexto.

Mas pensemos assim: será que alguém que busca somente por “restaurante” está interessado em comidas veganas? Ou, se procura por “Maceió”, necessariamente quer saber sobre restaurantes?

Seria mais eficiente escolher as expressões “restaurante vegano”, “restaurante em Maceió” ou, melhor ainda!, “restaurante vegano em Maceió”.

O que quero dizer é: sua palavra-chave não precisa necessariamente ser apenas uma palavra.

Na verdade, talvez o termo mais correto seja “expressão-chave” 🙂

Esse tipo de estratégia se chama long tail keyword (a tradução ao pé da letra é “palavra-chave de cauda longa”).

Com ela, busca-se especificar o máximo possível sua palavra-chave, a fim de garantir que seu conteúdo chegue até quem realmente está procurando por ele.

E como escolher uma palavra-chave eficiente?

Recapitulando:

  1. Se pergunte: o que eu pesquisaria em um site de buscas pra chegar até esse conteúdo?
  2. Não seja muito geral.

No exemplo do restaurante vegano em Maceió, se a palavra-chave escolhida fosse somente “restaurante”, provavelmente vários usuários entrariam na página e sairiam logo em seguida por não estarem procurando opções no Nordeste ou veganas.

Sem falar que a concorrência para esse termo é muito maior. Quantas pessoas devem escrever sobre esse assunto por dia? Seria muito mais difícil se destacar com ele.

Repita a palavra-chave ao longo do texto

Agora que você já sabe como escolher a palavra-chave perfeita pro seu artigo, torne-a mais efetiva repetindo-a ao longo do texto e usando-a em títulos e subtítulos.

(mas com parcimônia, para não ficar muito repetitivo e chato, tá?!)

Quer ver como essa técnica deve ser usada? Então aqui vai um exercício: a palavra-chave desse post é SEO. Veja quantas vezes, como e onde ela foi usada nesse artigo 😉

3. Preste atenção nas imagens

Qual nome você dá ao salvar as imagens que serão usadas no seu site?

Se nunca se preocupou com isso, aqui vai uma dica: nomeie-as usando os termos mais importantes do seu conteúdo.

Por exemplo:

Exemplo de SEO trabalhando no texto alt com imagens de biscoito

Essa é a imagem usada em um post do blog da loja Quadi que tem o seguinte título: “Receitas de Natal: 3 Aperitivos para Servir na Ceia!”.

A palavra-chave desse artigo é “Receitas de Natal”.

Essa imagem poderia ter sido salva com um nome aleatório (tudo bem, todos nós já fizemos isso uma vez na vida). Ao invés disso, foi usado o seguinte título: “receitas-de-natal-sobremesa-biscoito-amanteigado.jpg”. Perceba que os termos “receitas de natal” e “sobremesa” e “biscoito” aparecem aí.

E siga esses 3 passos sempre que for salvar uma imagem para ser usada em seu site:

    1. Use a palavra-chave, assim como alguns termos importantes.
    2. Evite usar termos de ligação. Por exemplo: “como”, “para”, “de”… (a menos que ele esteja na sua palavra-chave!)
    3. Use hífens ao invés de underline, para separar as palavras.

Qual a diferença entre o Texto Alt e o Título da imagem?

Dependendo da plataforma usada para postar em seu site ou blog, podem ser oferecidas essas duas opções de preenchimento quando o upload de uma imagem é feito.

Texto Alt

O Texto Alt é o texto alternativo à imagem.

Se a sua imagem fosse um texto, como ele seria?

Os robôs que lerão o seu site (ainda) não são capazes de distinguir muito bem os elementos de uma foto. Por isso, eles precisam ler o Texto Alt: é por meio dessa informação que eles conseguem identificar o que está na foto.

O que nos leva à conclusão de que o Texto Alt é importante para trabalhar o SEO do seu site.

Mas tem um outro motivo para preencher seu Texto Alt: softwares para deficientes visuais que leem em voz alta o conteúdo da sua página usam o Texto Alt para descrever suas imagens para os usuários.

Isso significa que não basta sair jogando palavras relevantes que não fazem sentido entre si para melhorar seu rankeamento dentro do site de buscas. É preciso que esse texto faça sentido para que seu site também tenha acessibilidade.

Por último, caso o Pinterest seja uma plataforma importante pro seu negócio, saiba que nela é o Texto Alt que cria a descrição automática para uma imagem salva.

Exemplo de descrição automática do Pinterest

Agora, lanço uma provocação:

Voltando à imagem dos biscoitos de Natal, qual Texto Alt você usaria?

Exemplo de SEO trabalhando no texto alt com imagens de biscoito

Título da Imagem

O Título da Imagem tem a função do seu nome: nomear uma foto.

Sabe aquele texto que aparece quando passamos o mouse por cima de uma imagem? É ele!

Tem gente que costuma usar o mesmo texto para os dois campos. Mas isso não é bom.

O Título da Imagem deve ser complementar ao Texto Alt.

Ele não interfere tanto no SEO quanto o Texto Alt. Inclusive, alguns optam por ignorá-lo.

Mas já que estamos aqui… Por que não preenchê-lo também? 😉

4. Escreva textos grandes, com ótimos conteúdos e boa frequência

De uns anos pra cá, nos fizeram acreditar que textos curtos eram os únicos efetivos na internet.

Afinal, em tempos dos 140 caracteres do Twitter e de legenda cortada no Instagram, quem vai querer ler alguma coisa?

Isso até pode ser verdade para essas redes, mas não funciona igual para o Google.

(E olha como é verdade: até aqui você já leu 9385 caracteres! UAU!)

Ele entende que textos longos têm mais informações. Logo, são mais relevantes e merecem maior destaque.

Sabendo disso, busque escrever conteúdos com pelo menos 1000 palavras.

E com frequência. Sites desatualizados costumam ser penalizados, caindo algumas posições nos resultados das buscas.

Parece muita coisa, não é?

Afinal, você já tem que administrar o seu negócio. Agora também precisa arranjar tempo para escrever artigos com pelo menos 1000 palavras, com qualidade, frequência e seguindo uma porção de regras (lembramos que mostrei só uma pequena parcela das técnicas de SEO)?

Em compensação, esse é um trabalho que trará muitos frutos a médio e longo prazo.

E você, já considerou contratar uma empresa especializada que vai trabalhar o SEO do seu site?

Fale com 7mídias!

Esperamos ter te ajudado!

Quer mais conteúdo legal assim? siga nossas redes sociais e fique sempre de olho no nosso blog! (:

Um abraço e até a próxima! 😉