fbpx Skip to main content
0
All Posts By

gui

Capa do artigo do blog sobre conversão

Conversão: Melhores estratégias para site

By Site No Comments

Oi, pessoal! Gui, da 7mídias, passando pra trazer mais um conteúdo top pra você! Hoje vou mostrar algumas estratégias de conversão para sites e como atrair muitos clientes através delas!

Bom, nós sabemos do potencial que os sites têm. Mas você está de fato aproveitando todo esse potencial? Um site sem estratégias de conversão só serve pra expor informações. 

Por isso, vou te mostrar aqui algumas dessas estratégias pra deixar seu site com um poder muito maior de transformar leads em clientes! 💪🏼  Vamos lá!

😱 Sua empresa ainda não tem um site? A 7mídias faz pra você!

1. CTAs

O Call To Action (chamada para ação), ou simplesmente CTA, é todo tipo de informação que leve o leitor a realizar uma ação. 

É um conceito não só de Marketing Digital, mas também de experiência do usuário. As informações mais importantes de uma página virtual devem chamar mais atenção do que as menos importantes.

Se você tem um site pro seu negócio, ele precisa estar repleto de CTAs. Os mais comuns são os botões de interação, como “COMPRE AGORA” ou “VER PRODUTOS” (botões de conversão), mas também podem vir em forma de pop-ups, banners, ícone de WhatsApp ou até mesmo links no meio de um artigo de blog.

E, claro, como eu disse ali em cima, as informações mais relevantes devem estar acompanhadas de botões mais chamativos.

Pra ilustrar, vou dar um exemplo aqui embaixo de como usar um CTA da forma mais eficiente:

Banner principal no site da Work Med com botão de conversãoBanner principal no site da Work Med

💻 É tempo de estar online: tenha seu site agora com a 7mídias

No site da Work Med, vemos logo de cara dois CTAs de conversão. Você deve ter reparado no primeiro, aquele botão grandão escrito “CONTRATAR”. Mas onde está o outro?

Se você olhar bem, o botão pedindo pra pessoa contratar o serviço aparece ali em cima no menu de novo, com mais destaque que os demais itens.

“Ué?! Mas pra que repetir se já usou um botão???”. Bom, no caso de uma clínica de medicina ocupacional, o que ela mais quer é que o usuário contrate os seus serviços. Então, vamos bombardear esse usuário de chamadas para a ação de contratar!

Eu mesmo já joguei dois CTAs aí na sua tela pedindo pra fazer seu site com a 7mídias e talvez você nem tenha notado (se você não notou, garanto que seu inconsciente, sim 😉).

E pensa que acabou por aí? Não mesmo! O botão de “CONTRATAR” ainda vai aparecer mais duas vezes enquanto rolamos o scroll na homepage:

Banner secundário no site da Work Med com botão de conversãoCTA de conversão “CONTRATAR” também na seção de serviços

Quando o usuário chegar no fim da página, verá outro botão parecido.

Além da frequência, outra coisa que um CTA precisa ter é o contraste na medida certa! Os links mais importantes precisam vir ancorados a botões mais chamativos, com mais contraste.

Listo aqui algumas formas simples de gerar contraste em botões, que são os Call To Action mais comuns:

1. Tamanho maior

Banner principal no site da Bicho Meu é maior para gerar conversãoSite da Bicho Meu: Botões de banners principais geralmente são maiores que os demais da página.

2. Cor de fundo complementar ao background do site

Banner com CTA de conversão e cor de fundo complementares no site da AmplicNo site da Amplic, vemos muitos CTAs roxos contrastando com o verde da marca.

3. Uso de ícones

Banner com ícones no site da Vista CapitalNo site da Vista Capital, esses dois CTAs vêm acompanhados de setinhas, buscando o clique do usuário.

4. Interações e movimento

Botão com interatividade ao passar o mouse por cimaA interatividade deixa os botões ainda mais chamativos!

5. Fundo preenchido ou vazado

Banner principal no site da Besser com ctas de conversãoUm banner no site da Besser tem um botão com fundo preto (mais chamativo) e outro com fundo vazado. 

2. Pop-ups

O pop-up é um recurso também muito útil, mas um pouco controverso por não oferecer necessariamente a melhor experiência ao usuário.

Pra ter ideia, até mesmo o criador do pop-up, Ethan Zuckerman, se desculpou com a internet depois de alguns anos da sua criação, nos anos 90. “A intenção era boa”, disse o programador. 😂

As pessoas “amam” tanto esse recurso que, se você procurar “pop-up” no Google, os primeiros resultados são todos sobre “como bloquear pop-ups no seu navegador”. 🚫

Apesar disso, o pop-up não foi abandonado pelas empresas. Isso se deve ao seu (ainda) grande potencial de clique pelo usuário.

O mesmo motivo que faz dele inconveniente também o faz útil! Quando o usuário é obrigado a ver uma janela na sua frente antes de começar sua navegação na página, ele tem muito mais chances de clicar do que se estivesse apenas exposto a uma seção tradicional do site.

E, claro, os pop-ups servem pra forçar o usuário a realizar alguma ação estratégica. Falando nisso, apresento aqui alguns tipos de conteúdo pra você exibir nos pop-ups do seu site:

1. Informações importantes

Quando se quer mostrar aos clientes que a empresa vai ficar aberta no feriado tal ou que está tomando as medidas de higiene necessárias durante uma pandemia, por exemplo, exibir essa informação logo que o usuário entra na tela é muito útil.

Fica ainda mais poderoso quando seu site é o principal meio de comunicação com os clientes e tráfego de leads. Dessa forma, conseguimos mostrar aquela informação para boa parte da sua audiência.

Veja a imagem que aparece no site da Rio Vet logo que entramos nele:

Popup informativo no site da Rio VetPop-up informativo no site da Rio Vet

2. Promoções relâmpago

Uma ótima estratégia de venda é fazer seu cliente achar que está desperdiçando uma chance de ouro se ele não comprar logo o seu produto ou serviço em promoção.

Colocar esse tipo de promoção em um pop-up provoca um sentimento de urgência e ansiedade ainda mais intensos no potencial comprador, e ele será impulsionado a comprar esse produto sem pensar duas vezes.

3. Produtos mais vendidos

Outra ótima informação a ser exibida no estouro de um pop-up é a divulgação dos carros-chefes do seu negócio.

Se a maior parte das pessoas procura sua empresa por esses produtos, uma boa ideia é já mostrá-los logo na tela do usuário e encaminhá-lo direto para a página de compra.

4. Formulário de e-mail em troca de e-book ou newsletter

Hoje em dia, talvez seja a mais usada em todos os pop-ups!

Dar um brinde em troca do e-mail torna o pop-up muito menos inconveniente e, às vezes, até agradável ao usuário que pode ter interesse no seu produto “grátis”.

A 7mídias tem um pop-up assim, oferecendo um e-book sobre como fazer sua empresa crescer no Instagram.

popup de conversão oferecendo ebook no site da 7mídias

O pop-up do site da 7mídias oferece um e-book em troca do email do usuário.

5. Carrinho abandonado

Esse tipo de estratégia é uma última tentativa de não deixar o cliente fugir de você!

O popup de carrinho abandonado é disparado logo que o cliente tira o mouse do seu site e apela pra que ele volte:

pop-up de exemplo para demonstrar urgência

Exemplo de pop-up de promoção relâmpago

3. Blog

Hoje em dia muita gente acha que blog é coisa do passado. Mas não se engane! Os blogs modernos trazem muito tráfego pros sites de empresas (e tráfego traz conversão).

E lembrando do funil de vendas, tráfego gera leads e leads podem se tornar clientes!

Mas não é só escrever qualquer texto sobre qualquer coisa. Para fazer um bom blog, é preciso ter um conhecimento de comunicação, Marketing Digital e SEO. Artigos bem feitos precisam de muita pesquisa e técnica para terem bom desempenho nos buscadores (Google, Bing etc).

Um dos cases de sucesso da 7mídias é o blog da Metalúrgica Besser. Nele, escrevemos posts relacionados ao ramo da metalurgia, mas que também são de interesse das pessoas.

Dois artigos aumentam (e muito) o tráfego orgânico no site da Besser. O primeiro é sobre como tirar ferrugem de ferro e o outro sobre como pintar ferro com tinta spray. Dois posts que são encontrados a partir de dúvidas comuns dos usuários e que todo mês fazem aumentar significativamente a relevância do site da Besser.

estatísticas de pesquisa do Google Search Console

Estatísticas de pesquisa do blog da Metalúrgica Besser

O trabalho de blog é árduo e de longo prazo. Mas é uma das melhores formas de gerar conversão e atrair tráfego orgânico e qualificado pro seu site!

💡 Agora, se você não tiver tempo ou segurança pra escrever artigos pro blog da sua empresa, lembre-se que a 7mídias pode fazer isso por você! 😁

4. Chatbot

Cada vez mais utilizados, os chats com inteligência artificial são um caminho ótimo para conduzir um usuário perdido no caminho que ele precisa seguir!

Existem alguns serviços para implementar um chatbot, além de outros que utilizam a API do WhatsApp no próprio site.

Lembra do site da Work Med? Olha ali no cantinho inferior direito o botão do WhatsApp:

Botão de conversão do WhatApop no site da Work Med

O site da Work Med tem um botão de WhatsApp

Quando clicado, ele leva o usuário direto para a conversa com o atendimento da WorkMed no WhatsApp!

Já no site da 7mídias, fizemos diferente! Colocamos a Vivi em forma de robô no canto da tela chamando o usuário pra uma conversa:

chatbot do site da 7mídias

Chatbot do site da 7mídias

Quando clicado, ele faz algumas perguntas para conhecer melhor nosso cliente e o encaminha pro seu serviço de interesse!

chatbot do site da 7midias

Nosso bot foi feito através do Landbot.io, mas existem outros serviços com o mesmo intuito!

5. Formulários de contato

Clássicos. Quando a comunicação da sua empresa se dá principalmente por e-mail, seu site deve ter um desses.

Eles são muito úteis pra captar bastante informação do usuário, entender suas dores e criar um banco de leads. A forma como você vai converter leads em conversão é outra história.

Um bom formulário se preocupa com as informações que se quer obter do usuário, além de ter um design elegante e de fácil entendimento pra quem vai preencher.

Existem vários plugins que vão te auxiliar na construção de um formulário bacana. Indicamos o Contact Form 7, disponível pra WordPress.

Aqui tá um exemplo ótimo do site do Pedro Abreu, advogado:

formulário de contato do site do Pedro Abreu

Formulário de contato do site do Pedro Abreu

Nele temos um filtro de informações sobre a área de interesse do cliente. Sabendo disso, o Pedro já pode encaminhar o cliente para o setor responsável por isso! 😉

⚠ Não esquece de colocar como obrigatórias as informações mais importantes!

Escolhi minhas estratégias de conversão e já apliquei no meu site. Como faço pra saber se deu certo?

Google Search Console

É a plataforma perfeita pra acompanhar o desempenho do seu site. 

No Search Console, você pode ver quantos cliques e impressões seu site tem, saber quais buscas dos usuários mais encontram seu site, enviar sitemaps e muito mais!

Estatísticas de desempenho do Google Search Console

Estatísticas de desempenho no Google Search Consele

Como o Google Search Console é uma plataforma com dezenas de funcionalidades, não vai dar pra eu mostrar todas aqui. Então esse assunto vai ficar pra um próximo post!

Esperamos que tenha gostado!

Um abraço e até a próxima! 😉

ilustração de duas fotografias

SEO de imagem: Como colocar suas imagens no topo das buscas

By SEO No Comments

Fazer SEO de imagem é um trabalho um pouco chato, mas muito importante. As imagens podem ser aliadas ou inimigas do SEO do nosso site. Se não forem tratadas da forma correta desde o início, podem ser muito prejudiciais para experiência do usuário, que é o critério fundamental do Google ao fazer o ranqueamento de imagens.

Oi, galera! Gui da 7mídias trazendo mais um conteúdo muito útil pra vocês! 

Nesse artigo vou mostrar boas práticas para lidar com a imagem desde o “salvar como” até o upload para o site.

1. Escolha do formato do arquivo

O formato de arquivo é o primeiro ponto de atenção aqui. Se a imagem que você quer usar não precisa de transparência, opte sempre pelo formato .jpg. Fotos jpg são mais fáceis de compactar sem perda de qualidade.

Agora se a transparência for necessária (para um logo, por exemplo) é melhor o formato .png.

2. Tratamento de imagem

Usando o Photoshop.

Ao preparar uma imagem para ser colocada em um site, os softwares de tratamento de imagem geralmente têm uma função “Salvar para web”.

No Photoshop, o caminho é Arquivo > Exportar > Salvar para web

Isso abrirá a janela de configurações de salvamento.

A imagem abaixo destaca as partes mais importantes dessa janela quando setamos a imagem para ser salva em jpg, ordenando os passos em números.

Explicando melhor:

  1. Como nesse caso queremos uma imagem com fundo colorido, setamos o tipo de arquivo pra JPEG.
  2. O tamanho da imagem tem que ser proporcional ao espaço que ela ocupará na tela. Se a imagem for enorme, mas só será usada num espaço pequeno da tela, é importante deixá-la o menor possível, desde que satisfaça o espaço que ela vai ocupar no site. Outro fator importante é a proporção da imagem: o Google prioriza imagens 4:3 e 16:9, já que são as dimensões mais comuns para monitores e funcionam bem para celulares também.
  3. A qualidade pra imagens da web não precisa ser extrema. Escolha a qualidade que não deixe a imagem péssima e nem muito grande em tamanho de arquivo.
  4. Essa parte da tela mostra qual será o tamanho final do arquivo. Depois de redimensionar a imagem e mudar a qualidade, fique de olho nesse visor. Para ser didático, imagens largas (como banners) devem ter um tamanho menor que 300 kb. Imagens médias devem ser menores que 150 kb e imagens pequenas menores que 100 kb. Diminua a qualidade ou o tamanho da imagem até atingir esses resultados.
  5. Metadados são algumas informações de uma imagem captadas por uma câmera (como flash, foco etc), entre outras informações. Elas pesam a imagem e não são necessárias para web, então deixe a opção marcada como “nenhum”.

Sem Photoshop

Uma alternativa para tratar as imagens sem Photoshop é usando o site Optimizilla. Ele permite compactar fotos de 20 em 20 imagens por vez. 

Mas ele não redimensiona as imagens, então é importante que as imagens já estejam no tamanho correto. 

Depois de subi-las, é só escolher a qualidade para que o tamanho do arquivo fique cada vez menor e depois baixar. 

OBS: Para imagens PNG, diminuir a qualidade pode deixá-las pontilhadas. Então, se uma imagem não tem transparência, converta ela pra JPG usando o site convert.io e depois pode compactar.

3. Nomeando arquivo

Essa parte aqui é extremamente importante pro SEO da imagem! Temos três detalhes da imagem a que o Google dá importância, que são:

  • Nome do arquivo
  • Texto Alt
  • Legenda (indiretamente)

Vamos explicar cada um deles abaixo

Nome do arquivo

Antes mesmo de subir a imagem pro site, precisamos nomeá-la. A ideia aqui é fazer o robozinho do Google entender o conteúdo da imagem. 

Imagina esse robô se deparando com um arquivo chamado “WhatsApp Image 2020-04-15 at 18.38.11.jpg” ou “IMG-2342.jpg”. Ele não vai entender nada!

Agora se o nome for “cadeira-de-escritório-preta-com-rodinhas.jpg” vai ficar beeem mais fácil de entender o que tem na imagem.

Texto alt

As imagens da internet carregam um atributo chamado “alt”. Podemos preencher esse atributo com uma descrição da imagem e dizer pra quê ela serve.

Mas atenção! Muita gente acha que devemos encher o texto alt com palavras-chave e afins. Mas o algoritmo do Google já é bem espertinho pra identificar esse tipo de ação e pode marcar a imagem como spam, prejudicando muito seu ranqueamento.

Até porque ele não serve só pra descrever a imagem pro Google, mas pra acessibilidade também. Nesse atributo precisamos pensar como um deficiente visual vai entender a utilidade daquela imagem que está passando na tela.

O texto alt deve ser preenchido com uma breve descrição da imagem. E deve ser direcionada pra humanos, não pra robôs. Por exemplo “cadeira de escritório preta com rodinhas num fundo branco”.

Mas onde que eu coloco esse tal de texto alt?! Se você tiver fazendo um site em WordPress, ele já te dá essa opção nas configurações da imagem. Se estiver editando diretamente num código HTML, é só acrescentar um atributo alt dentro da imagem, tipo assim:

<img src=”cadeira-de-escritório-preta-com-rodinhas.jpg” alt=”cadeira de escritório preta com rodinhas num fundo branco”>

Legenda

As legendas não são extremamente necessárias, mas elas ajudam muito o SEO de forma indireta. Já foi comprovado que elas prendem o usuário por muito mais tempo na página, e isso é muito positivo pro algoritmo. 

No WordPress dá pra adicionar uma legenda também nas configurações da imagem.

4. Teste de velocidade no GTmetrics


Depois de subir a imagem no site, teste se ela está otimizada na ferramenta especializada GTMetrics.

Acesse GTmetrix.com, coloque o URL de onde estão as imagens que você subiu e clique em “Test your site”.

Depois de um tempo aparecerão as recomendações para otimização de velocidade

Três delas são relacionadas à imagens: “Optimize images”, “Specify image dimensions” e “Serve scaled images”.

Talvez elas apareçam pra você se as imagens ainda puderem ser melhoradas.

O primeiro diz que as imagens podem ser otimizadas. Ele ainda gera uma URL com a imagem já otimizada, aí é só baixar e substituir. Mas basicamente o que ele faz é tirar algumas informações ocultas na imagem, como aqueles metadados que falei lá em cima.

O segundo diz que algumas imagens não têm suas dimensões (width – largura, height – altura) não foram especificadas. Não é um problema tão sério, já que as imagens não precisam ter as dimensões especificadas para aparecer.

O terceiro mostra imagens que estão sendo usadas no site numa dimensão menor do que ela é. Para acabar com esse problema, tente dimensionar as imagens exatamente no tamanho que elas serão usadas no site.

Se você seguir todos esses passos, seu site estará extremamente otimizado em relação às imagens. Muito mais leve e agradável para que seus usuários permaneçam no seu site, aumentando cada vez mais seu ranqueamento no buscador do Google.

Agora, se você não tiver afim de fazer esse trabalho todo, fala com a gente! 

A 7mídias faz um site lindo e otimizado pra sua empresa, sem falar no trabalho de SEO pra que ele fique no topo do Google!

QUERO UM SITE LINDO E OTIMIZADO PARA MINHA EMPRESA!

Gostou desse post? Não deixe de compartilhar com seus amigos!

Para mais conteúdos como esse, fique de olho no nosso Blog e siga a 7mídias nas redes sociais, estamos sempre trazendo conteúdos interessantes sobre o marketing digital por lá!

teo, mascote da 7mídias sorrindo

Mascote: como criar um pra sua empresa

By Branding 4 Comments

Você que acompanha a 7mídias já deve ter visto o nosso mascote Teo por aí. É quem nos ajuda a contar um pouco da nossa história e a nos aproximar mais de você. Sim, porque como todo mundo sabe uma boa marca precisa ter identificação com seu público. 

Seja na comunicação, na identidade visual ou até na qualidade dos seus produtos, é importante ter meios de fazer seu cliente despertar sentimentos bons quando experimenta sua marca. 

E uma das formas mais eficientes de criar essa identificação é tendo um mascote. 

Com um mascote você cria um novo canal de comunicação com seu público, capaz de passar os valores da sua empresa de uma forma lúdica, descontraída e amigável.

E não pensa que é moleza explorar todo esse potencial! O mascote precisa ser muito bem pensado pra não acabar passando uma ideia errada ou pejorativa da sua marca.

Nesse post te mostro tudo o que um bom mascote deve ter, e aproveito pra dividir um pouquinho do processo criativo do nosso mascotinho, o Teobaldo (mas pode chamar de Teo que ele gosta mais 😋). Bora lá!

Como planejar o meu mascote

1. O mascote deve combinar com a marca em aparência e personalidade

O mascote precisa ter na aparência e personalidade dele coisas que lembrem a marca que ele representa. 

E é por isso que muitas empresas escolhem o seu próprio produto pra posar de mascote. Quer um exemplo? Toma três: O Toddynho da Toddy, o Dollynho da Dolly e os M&M’s. E tem mais um monte!

mascote toddynho acenando

Se você tem uma marca que se comunica de forma mais descontraída e divertida, vai combinar ter um mascote com formas leves, arredondadas e sem tanta preocupação com realismo, tipo o tigre do Sucrilhos Kellogg’s, que é um tigre com um corpo humanizado. 

Agora, se for uma empresa mais sóbria, vale seguir por um caminho mais realista, como a Magalu da Magazine Luiza.

Quanto à personalidade, vamos voltar ao exemplo do tigre. A Sucrilhos quer passar uma ideia de que o produto deles dá energia, né? 💪⚡ Então a escolha do tigre atleta é muito inteligente, porque esse animal nos remete ao vigor físico e à disposição que a Sucrilhos quer vender no seu cereal matinal.



2. O mascote deve gerar identificação e carisma

Um bom mascote precisa cativar o público. Mas como? Se comunicando de uma forma mais amigável, descontraída e com a mesma linguagem das pessoas com quem ele está falando. Tem que ser tipo aquele seu amigo que todo mundo gosta, sabe?

 

Você pode criar uma breve história pra ele, que deve ter a ver com a história do seu público a ponto de criar uma identificação.

Além disso, o mascote também precisa interagir. Até porque, do que adianta ter um personagem legal se ele só é assim no mundo das ideias? 🤔

O mascote não deve ser só um amigo imaginário, ele pode estar inserido no cotidiano do público-alvo.

Por exemplo: o Batom radical da Batom anda de montanha-russa com as crianças, o franguinho da Sadia cozinha com a família (tadinho… mal ele sabe que tá ajudando a cozinhar um parente 😪).

E, falando em crianças, um mascote também é perfeito pra atraí-las. Inclusive existem estudos seríssimos sobre o poder de influência das crianças na tomada de decisão de compra dos pais, principalmente no ramo de alimentos.

Então, se alguma coisa atrair as crianças, vai atrair o dinheiro dos pais também! 🤑

Por isso, seu mascote deve agir, falar e viver como o seu público!

3. O mascote deve ser flexível e atemporal

Não adianta ter um mascote que só vai servir até daqui alguns anos. Ele precisa ser atemporal ou pelo menos estar sempre atualizado.

Também não adianta fazer um mascote que não se encaixa bem nas embalagens, que é difícil de desdobrar em animações ou que não seja possível reproduzir em 3D, pra dar de brinde, por exemplo.

O design tem que ser bem pensado pra que ele se mantenha atual e flexível, pra evitar alterações na sua identidade em um curto prazo.

Mas, como esse mundão tá sempre evoluindo, é inevitável que o mascote vá ficando obsoleto com o tempo. E é por isso que as marcas sempre atualizam seus mascotes de acordo com as ferramentas que temos disponíveis. 

O famoso mascote que vemos sempre na TV e outdoors por aí já teve sua versão em preto e branco, amigos! E hoje em dia ele tá todo bonitão em 3D dançando na propaganda das Casas Bahia. 🤣

Olha só a evolução do Baianinho das Casas Bahia:

Falando em Casas Bahia, tem um comercial muito legal em que o famoso ex-garoto propaganda da marca, Fabiano Augusto, faz uma entrevista de emprego com diversos mascotes famosos de outras empresas. Tem o Dollynho, Ronald McDonald e até a Magalu, que é de uma concorrente! Depois caça lá no Youtube.

De todo modo, é preciso tomar cuidado pro mascotinho durar o maior tempo possível sem precisar de nenhuma alteração. Até porque, além de dar um trabalhão, essa atualização constante é ruim pro padrão de identidade visual da marca.

4. Escolha um tipo de mascote

Existem alguns tipos bem comuns de mascote:

    • Humano: Baianinho, Magalu, Ronald McDonald
    • Animal: Lequetreque da Sadia, Tigre do Sucrilhos
    • Objeto: Lâmpada da Pixar, Clip do Microsoft Office
    • Produto: Dollynho, Toddynho, Batom, M&M’s
    • Sobrenatural: Bibendum da Michelin, Teo da 7mídias

 

Não chora, Teo! Nós te amamos do jeitinho que você é! Fica triste não, tá?

Bem, não tem uma regra certa pra escolha do tipo de mascote. Mas vou te ajudar a dar uma filtrada:

  • Os mascotes humanos são mais comuns em empresas que vendem muitos produtos diferentes e geralmente são mais focadas no público-adulto.
  • Já os animais são bons pra atrair crianças. É muito comum no ramo alimentício.
  • Se você vende um produto unitário ou tem um produto principal, o mascote produto é o ideal.

5. Escolha um nome simples e que resuma o mascote

Nem todo mascote famoso tem seu nome na boca do povo, mas seria muito bom se tivesse!

Todo mundo conhece o Dollynho, a Magalu e o Ronald McDonald. E o que esses três têm em comum? Seus nomes carregam a própria marca.

Então escolha um nome simples, que mostre seu objetivo e, se possível, que faça propaganda da sua marca por você. 

O Dollynho está no diminutivo porque é um personagem infantil. Magalu é um ótimo apelido pra uma blogueira famosa e Ronald McDonald é um nome musical (aliás, alguém aí também ouvia as músicas do Ronald McDonald quando era criança ou só eu?).

No caso do nosso Teo, fizemos diferente: escolhemos dois nomes entre a equipe e jogamos uma enquete no Instagram pros seguidores votarem. Foi muito divertido e ainda gerou muito engajamento nas redes. 😉

enquete de instagram com disputa de nomes

Processo criativo:

Quer ver como a gente fez o nosso querido Teo? Vem comigo!

1. Do esboço à versão final

Antes de tudo jogamos nossas ideias no papel! É importante desenhar nossas ideias antes de partir pra produção em si, porque assim temos uma visão geral de como vai ficar.

Começamos com um gnomo, que já era nosso mascote aqui na agência, mas acabamos abandonando a ideia por motivos visuais e seguimos pro monstrinho. Deu nessa metamorfose aí:

evolução do nosso mascote passo a passoDefinida a ideia inicial, passamos pra produção. Aqui usamos o Adobe Illustrator pra criar os vetores 2D. É muito importante que o mascote esteja vetorizado, assim podemos redimensioná-lo o quanto for necessário, além de ser muito mais fácil trabalhar com vetores para as animações.

O nosso Teo é um personagem 2D, mas se o seu for em 3D você vai precisar de um software de criação 3D (e um PC muito bom pra renderizar tudo 😅).

2. Expressões

Crie expressões que mostrem exatamente o que seu personagem está sentindo e o que ele quer transmitir. 

Elas são muito importantes pra tornar o personagem carismático e amigável! Um mascote que tem a mesma cara sempre ou não tem um rosto genuinamente alegre não cativa ninguém, não é mesmo?

💡 Dica: pesquise no Google imagens “expressões cartoon” e se inspire nos milhões de exemplos.

Ah, pra expressões mais precisas, sobrancelhas e pálpebras são fundamentais! Elas são a magia que define o humor de um personagem (por isso o Teo tem um par de sobrancelhas mesmo sendo um ciclope hahaha!).

diferentes expressões do mascote Teo3. Versatilidade

Como dissemos lá em cima, o mascote precisa ser versátil. Então não é legal que tenhamos só uma variação, precisamos dele em diversas situações e posições. 

Por isso crie algumas variações de aplicação pra ele. Somando isso às expressões, temos muitas opções pra momentos diferentes!

variações do mascote

4. Animação

Também é interessante que o mascote seja flexível pra animações. Elas dão vida ao personagem e nos permitem aplicá-lo tanto em imagens quanto em vídeos!

Olha a animaçãozinha que fizemos simulando o nascimento do Teo:

animação do nascimento do Teo da 7mídias

5. Acessórios

Chegamos numa parte divertida e importante pra deixar o mascote ainda mais versátil!

Acessórios têm o poder de inserir o personagem no contexto em que você desejar, além de fortalecer a identidade e a personalidade dele.

No caso do Teo, escolhemos que o contexto em que ele tá vai combinar com os óculos que usa. 

Por exemplo, se ele estiver lendo, usa óculos de leitura, se tiver na praia, usa óculos de sol, e assim vai. Olha isso na prática:

os 4 diferentes óculos do Teo

Reparou que os óculos são ciclopes, igual ao Teo? 😂 Isso ajuda a chamar a atenção pra identidade que criamos pra ele!

Também criamos uma roupinha pra um momento muito específico: o Teo vestido de Harry Potter com medo de cair da vassoura enquanto joga quadribol! Os fãs de Harry Potter vão adorar quando mostrarmos isso pra eles! 😄🧙‍♂️

Teo da 7mídias vestido de Harry Potter

6. Aplicabilidade

Depois de finalizarmos o mascote, finalmente podemos usar seu potencial. Você pode estampá-lo no rótulo do seu produto (como é na maioria dos casos) ou usá-lo em propagandas na TV e internet, por exemplo.

No nosso caso temos usado o Teo como um novo membro da 7mídias que aparece no nosso Instagram dando dicas e outras coisas, dá uma olhada:

post do instagram em que o teo aparece dando uma dica

Enfim, um mascote tem um potencial enorme de deixar a identidade da sua empresa mais amigável para o seu público

Sua empresa ainda não tem uma identidade visual? Tá esperando o que?! Fala com a gente que resolvemos isso pra você!

QUERO UMA ID VISUAL INCRÍVEL!